Assassination Classroom e a importância do Homeschooling

Clube Damas de Ferro
3 min readJul 22, 2021

Poucos assuntos foram mais discutidos e defendidos no Brasil quanto a educação. Há um consenso em nossa população de que, mesmo precária, a educação é o principal caminho para a melhoria de vida. E justamente por darmos tamanha importância a educação que muitos pais veem com maus olhos o homeschooling, uma nova alternativa de educação fora da escola tradicional que vem ganhando espaço no país. Para entender melhor as forças e vantagens do homeschooling, é interessante analisarmos um anime cujo tema é educação: Assassination Classroom.

A história começa com a lua sendo destruída por um monstro super-rápido, que fará o mesmo com à Terra dentro de um ano. Como nenhum governo do mundo consegue matá-lo, ele decidiu passar este um ano sendo professor de uma turma de 9º ano e treiná-los para matá-lo. Se eles conseguirem, ganharão do governo um prêmio de 10 bilhões.

Apesar de maluca, esta história usa do “assassinato” como metáfora para educação. O monstro, apelidado pelos alunos de “professor Koro”, é um professor ativo com imenso carinho por eles e usa de sua supervelocidade para ser o professor perfeito: ele não só elabora lições de casa que considerem as dificuldades específicas de cada aluno, como também revisa a matéria com eles individualmente em cada carteira e dá vários conselhos de vida importantes para formá-los.

Entretanto, o resto da escola não se comporta como o professor Koro. Como a turma 3E que ele escolheu ensinar é a turma com as piores notas e reputação, eles são excluídos pelo resto dos alunos e professores, tidos como um exemplo do que não ser: a “classe dos excluídos”, os alunos sem futuro. Ensinar uma turma com má reputação poderia abaixar o moral de um professor e prejudicar a qualidade de sua aula. O professor Koro, porém, não se deixa levar pelas críticas feitas por seus colegas de trabalho, muito menos que a qualidade de sua aula caia por conta de preconceitos relacionados aos alunos.

A escola de Assassination Classroom se baseia no mundo real, onde o ensino foca no aprendizado do mesmo conteúdo padronizado para todos e não considera os talentos e habilidades pessoais de cada aluno. Neste modelo, muitos professores são incapazes de controlar uma sala ou motivar os alunos a quererem aprender sua matéria, levando a altos níveis de evasão escolar e analfabetismo funcional. É um ensino que trata o aluno como “recipiente vazio” a ser preenchido em vez de co-autor de sua história.

O homeschooling surge então como uma opção quando os pais olham para e esse sistema e o rejeitam. Mesmo que hajam professores como o professor Koro nessas escolas, eles são raros o suficiente para os pais preferirem buscar outra alternativa. É o que vimos no livro “A Bela Árvore”, de James Tooley. O livro detalha viagens para comunidades carentes da Índia e da África, onde vemos escolas populares criadas pelas próprias comunidades para educar seus filhos. Mesmo precário, o ensino destas escolas locais traziam a realidade do aluno para a sala de aula, fazendo-os protagonistas de seu próprio ensino.

Como resultado, as notas finais destes alunos superavam as notas de alunos da escola tradicional, e os pais dessas comunidades preferiam enviar os filhos para estas escolas. O homeschooling surge porque esses pais preferem a certeza de que seus filhos tenham um professor Koro do que a oportunidade de irem parar na “classe dos excluídos”.

Texto por Paulo Grego.
Arte Dayane Matos.

--

--

Clube Damas de Ferro

Conhecer, estudar e refletir sobre autoras que defendem a liberdade. Inspirar mulheres no movimento liberal e libertário. O Clube é online.